Portugal NáuticoPortugal Náutico

Mensagens recentes

Páginas: 1 [2] 3 4 ... 10
11
Notícias / [NoticiasMar] PwC promove webinars dedicados ao Mar
« Última mensagem por Informadora em Julho 02, 2020, 21:40:04 »
PwC promove webinars dedicados ao Mar

exclenciamarA PwC Portugal vai promover, durante o mês de Julho, organizar dois webinars internacionais. O primeiro sobre investimento e financiamento da Economia Azul (2 de julho – MAREECOFIN) e o segundo sobre excelência e mérito nos Oceanos, Mares, Rios e Lagos (25 de julho – Excellens Mare).





Fonte: www.noticiasdomar.pt
Publicada na fonte em: 2020-07-02 19:39:02
12
Meteorologia / [IPMA] Subida de temperatura no início do mês de julho
« Última mensagem por Informadora em Julho 02, 2020, 18:54:03 »
Subida de temperatura no início do mês de julho

                                         
Informação  Meteorológica
Comunicado válido entre 2020-07-02 17:10 e 2020-07-07 23:59

Titulo: Subida de temperatura no início do mês de julho

A partir de dia 3 de julho (sexta-feira), prevê-se uma subida significativa dos valores de temperatura, em especial da máxima. Esta situação de tempo seco e quente deverá manter-se até meados da próxima semana, prevendo-se uma ligeira descida de temperatura no dia 7 (terça-feira). O pico de temperatura deverá ser atingido nos dias 5 e 6 de julho (domingo e segunda-feira).
Assim, prevê-se para domingo valores da temperatura máxima a variar aproximadamente entre 30 e 34°C na generalidade do território, com valores ligeiramente inferiores junto à faixa costeira (entre 28 e 30°C) e a variar entre 34 a 39°C nas regiões do interior. Em alguns locais, como por exemplo no nordeste Transmontano, vale do Douro, vale do Tejo e no interior do Alentejo os valores da temperatura máxima podem aproximar-se de 40 a 42°C.
Na noite de sábado para domingo, prevê-se também uma pequena subida da temperatura mínima que deverá variar entre 15 e 24°C, em especial nas regiões do interior Centro e na região Sul.
O vento soprará fraco a moderado (até 30 km/h) predominando de noroeste, sendo mais intenso dia 3, soprando por vezes forte (até 40 km/h) na faixa costeira ocidental e nas terras altas, com rajadas até 65 km/h. A partir de dia 4, o vento predominará do quadrante leste nas terras altas do interior Norte e Centro onde soprará por vezes forte durante a noite e manhã.
Esta subida de temperatura deve-se à advecção de uma massa de ar quente e seco proveniente do norte de África, associada a um fluxo de leste sobre a Península Ibérica na circulação do anticiclone localizado na região dos Açores, que se estende em crista até ao Golfo da Biscaia, e de uma depressão centrada a sul da península.
Previsão elaborada a 2 de julho de 2020.
Fique atento ao risco de incêndio e às restrições, estamos no período crítico de 1 de julho a 30 de setembro de 2020:
http://www.ipma.pt/pt/riscoincendio/rcm.pt/#
Para mais detalhes sobre a previsão e avisos meteorológicos para os próximos dias consultar:
http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.descritiva/
http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.significativa
http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev-sam/

Data de Edição: Qui, 02 Jul 2020 17:10:42




Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-07-02 17:10:42
13
Meteorologia / [IPMA] Aviso de Sismo Sentido no Continente 11-06-2020 10:35
« Última mensagem por Informadora em Julho 02, 2020, 18:54:02 »
Aviso de Sismo Sentido no Continente  11-06-2020  10:35

                                       
Informação  Sismológica
Titulo: Aviso de Sismo Sentido no Continente  11-06-2020  10:35

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera informa que no dia 11-06-2020 pelas 10:35 (hora local) foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente, um sismo de magnitude 2.9 (Richter) e cujo epicentro se localizou a cerca de 40 km a Sul-Sudeste de Lagos.
Este sismo, de acordo com a informação disponível até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima II/III (escala de Mercalli modificada) na região de Lagoa, Portimão e Silves (Faro).
Se a situação o justificar serão emitidos novos comunicados.

A localização do epicentro de um sismo é um processo físico e matemático complexo que depende do conjunto de dados, dos algoritmos e dos modelos de propagação das ondas sísmicas. Agências diferentes podem produzir resultados ligeiramente diferentes. Do mesmo modo, as determinações preliminares são habitualmente corrigidas posteriormente, pela integração de mais informação. Em todos os casos acompanhe sempre as indicações dos serviços de proteção civil. Toda e qualquer utilização do conteúdo deste comunicado deverá sempre fazer referência à fonte.

Data de Edição: Qui, 11 Jun 2020 11:06:15




Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-06-11 11:06:15
14
Meteorologia / [IPMA] Sardinha Atlanto-Ibérica
« Última mensagem por Informadora em Julho 01, 2020, 19:53:06 »
Sardinha Atlanto-Ibérica

Bons Sinais de Recuperação da Sardinha Atlanto-Ibérica



De acordo com a avaliação científica, a biomassa reprodutora da sardinha atlanto-ibérica aumentou cerca de 66% entre 2019 e 2020, estimando-se esse valor, para o início de 2020, em 344 mil toneladas. Este aumento de biomassa deve-se sobretudo ao recrutamento da geração de 2019, a mais abundante desde 2004, à grande redução das capturas, e à gestão da pescaria realizada. Em 2020, e pela primeira vez desde 2009, a biomassa ultrapassa já o “trigger” MSY estando agora em “capacidade reprodutiva total”.


O stock Ibérico de sardinha foi avaliado no final de junho de 2020 pelo CIEM (Conselho Internacional para a Exploração do Mar) o organismo científico internacional que apoia a comissão europeia, e os estados membros da união, no aconselhamento sobre o estado biológico da sardinha atlanto-ibérica, e as oportunidades de pesca, reunindo informação dos cruzeiros de investigação e dos desembarques em lota. O parecer, já divulgado, pode ser encontrado num dos links indicados abaixo.


O parecer do CIEM seguiu o procedimento regular solicitado pela Comissão Europeia para 2021, e ainda, por solicitação dos governos de Portugal e Espanha, que em conjunto gerem esta pescaria, incluiu a revisão em alta do aconselhamento para 2020 tendo em conta os dados mais recentes das campanhas e da pescaria. O parecer informa sobre um conjunto de alternativas de gestão que incluem o MSY (maximum sustainable yeld) e a utilização de uma regra de exploração precaucionaria no longo prazo, já aferida pelo CIEM.


Portugal e Espanha acordaram em 2018 gerir a pesca da sardinha com base num Plano de Gestão e Recuperação, que conduziu a uma grande contenção nas capturas e a medidas adicionais de proteção de juvenis e de gestão da pescaria. Estas medidas resultaram numa redução de 90% da mortalidade por pesca nos últimos 8 anos. A recuperação observada assentou em parte na grande redução do esforço de pesca que tem lugar desde 2012 e se acentuou a partir de 2014, e no conjunto de medidas de gestão decididas pelos dois governos (Imagem 1).

 

Apesar da falta da campanha acústica espanhola de primavera, que não se realizou devido à pandemia da COVID-19, o processo pode utilizar na totalidade a campanha acústica portuguesa, realizada com a utilização do navio de investigação espanhol Miguel Oliver, e a colaboração de investigadores do IPMA e do Instituto Espanhol de Oceanografia. Uma das conclusões dominantes deste estudo prende-se com a melhoria do recrutamento, já determinada no cruzeiro do outono de 2019 (Imagem 2).

 

É importante assinalar o facto de o elevado recrutamento de 2019 ter sido gerado por uma biomassa desovante reduzida. Esta situação não é inédita na história do recurso (ocorreu em 1999-2000), e parece indicar que os factores ambientais terão sido determinantes no sucesso do recrutamento.


O IPMA está a estudar se as condições ambientais podem explicar este ano de exceção em relação à década anterior, ou se este foi resultado de ter aumentado a população reprodutora devido à importante redução do esforço de pesca, ou uma combinação dos dois fatores. Esta questão está intimamente relacionada com a possível transição entre regimes de recrutamento.


Importa ainda salientar a predominância de indivíduos jovens com baixo potencial reprodutivo, cuja sobrevivência é importante assegurar para um futuro de pesca sustentável, bem como a necessidade de ser mantido o esforço de monitorização constante desta espécie, e de assentar os mecanismos de gestão no aconselhamento científico.


Documentos de apoio:



       
  • Série histórica completa da evolução da sardinha atlanto-ibérica pode ser consultada em http://www.ipma.pt/pt/pescas/recursos/sardinha/index.jsp.

  •    
  • Revisão do aconselhamento ICES 2020: http://ices.dk/sites/pub/Publication%20Reports/Advice/2020/Special_Requests/porsp.2020.06.pdf

  •    
  • Aconselhamento ICES 2021: http://ices.dk/sites/pub/Publication%20Reports/Advice/2020/2020/pil.27.8c9a.pdf

        [IPMA, 01/07/2020]





Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-07-01 09:00:00
15
Meteorologia / [IPMA] Sardinha Atlanto-Ibérica
« Última mensagem por Informadora em Julho 01, 2020, 18:52:07 »
Sardinha Atlanto-Ibérica

Bons Sinais de Recuperação da Sardinha Atlanto-Ibérica



De acordo com a avaliação científica, a biomassa reprodutora da sardinha atlanto-ibérica aumentou cerca de 66% entre 2019 e 2020, estimando-se esse valor, para o início de 2020, em 344 mil toneladas. Este aumento de biomassa deve-se sobretudo ao recrutamento da geração de 2019, a mais abundante desde 2004, à grande redução das capturas, e à gestão da pescaria realizada. Em 2020, e pela primeira vez desde 2009, a biomassa ultrapassa já o “trigger” MSY estando agora em “capacidade reprodutiva total”.


O stock Ibérico de sardinha foi avaliado no final de junho de 2020 pelo CIEM (Conselho Internacional para a Exploração do Mar) o organismo científico internacional que apoia a comissão europeia, e os estados membros da união, no aconselhamento sobre o estado biológico da sardinha atlanto-ibérica, e as oportunidades de pesca, reunindo informação dos cruzeiros de investigação e dos desembarques em lota. O parecer, já divulgado, pode ser encontrado num dos links indicados abaixo.


O parecer do CIEM seguiu o procedimento regular solicitado pela Comissão Europeia para 2021, e ainda, por solicitação dos governos de Portugal e Espanha, que em conjunto gerem esta pescaria, incluiu a revisão em alta do aconselhamento para 2020 tendo em conta os dados mais recentes das campanhas e da pescaria. O parecer informa sobre um conjunto de alternativas de gestão que incluem o MSY (maximum sustainable yeld) e a utilização de uma regra de exploração precaucionaria no longo prazo, já aferida pelo CIEM.


Portugal e Espanha acordaram em 2018 gerir a pesca da sardinha com base num Plano de Gestão e Recuperação, que conduziu a uma grande contenção nas capturas e a medidas adicionais de proteção de juvenis e de gestão da pescaria. Estas medidas resultaram numa redução de 90% da mortalidade por pesca nos últimos 8 anos. A recuperação observada assentou em parte na grande redução do esforço de pesca que tem lugar desde 2012 e se acentuou a partir de 2014, e no conjunto de medidas de gestão decididas pelos dois governos (Imagem 1).

 

Apesar da falta da campanha acústica espanhola de primavera, que não se realizou devido à pandemia da COVID-19, o processo pode utilizar na totalidade a campanha acústica portuguesa, realizada com a utilização do navio de investigação espanhol Miguel Oliver, e a colaboração de investigadores do IPMA e do Instituto Espanhol de Oceanografia. Uma das conclusões dominantes deste estudo prende-se com a melhoria do recrutamento, já determinada no cruzeiro do outono de 2019 (Imagem 2).

 

É importante assinalar o facto de o elevado recrutamento de 2019 ter sido gerado por uma biomassa desovante reduzida. Esta situação não é inédita na história do recurso (ocorreu em 1999-2000), e parece indicar que os factores ambientais terão sido determinantes no sucesso do recrutamento.


O IPMA está a estudar se as condições ambientais podem explicar este ano de exceção em relação à década anterior, ou se este foi resultado de ter aumentado a população reprodutora devido à importante redução do esforço de pesca, ou uma combinação dos dois fatores. Esta questão está intimamente relacionada com a possível transição entre regimes de recrutamento.


Importa ainda salientar a predominância de indivíduos jovens com baixo potencial reprodutivo, cuja sobrevivência é importante assegurar para um futuro de pesca sustentável, bem como a necessidade de ser mantido o esforço de monitorização constante desta espécie, e de assentar os mecanismos de gestão no aconselhamento científico.


Documentos de apoio:



       
  • Série histórica completa da evolução da sardinha atlanto-ibérica pode ser consultada em http://www.ipma.pt/pt/pescas/recursos/sardinha/index.jsp.

  •    
  • Revisão do aconselhamento ICES 2020: http://ices.dk/sites/pub/Publication%20Reports/Advice/2020/Special_Requests/porsp.2020.06.pdf

  •    
  • Aconselhamento ICES 2021: http://ices.dk/sites/pub/Publication%20Reports/Advice/2020/2020/pil.27.8c9a.pdf

        [IPMA, 01/07/2020]


Artigo relacionado: https://bit.ly/2NMY79q





Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-07-01 09:00:00
16
Meteorologia / [IPMA] Poeiras do deserto do Sáara (Atualização)
« Última mensagem por Informadora em Junho 26, 2020, 17:53:06 »
Poeiras do deserto do Sáara (Atualização)

26 de junho de 2020: Poeiras do deserto atingem Sueste da Península, não se prevendo que afetem Portugal


A nuvem de poeiras do Sáara que atravessou o Atlântico e chegou às Caraíbas teve uma concentração máxima diária de partículas em suspensão (PM10) no dia 23 de junho de 532 μg/m3 na estação de Cataño (Puerto Rico), numa região onde os valores típicos excecionalmente ultrapassam os 100 μg/m3, tendo sido o valor mais alto registado desde há 50 anos. Nos próximos dias assistiremos à diminuição progressiva dos efeitos deste evento na região das Caraíbas, prevendo-se que a concentração de partículas em suspensão (PM10) para 30 de junho, não ultrapasse os 80 μg/m3 à superfície


Prevê-se também que estas poeiras atinjam o sueste da Península Ibérica a partir do próximo dia 30 (terça feira) com valores PM10 cerca de 200 μg/m3 à superfície, não se prevendo neste momento um aumento acima dos níveis normais para Portugal.


Conhecendo-se o efeito destas partículas na saúde humana, especialmente do foro respiratório, e ainda outros de natureza económica como a fluidez do tráfego aéreo, reconhece-se a importância dos sistemas internacionais de monitorização destes eventos com especial relevo para o serviço CMAS (Copernicus Atmosphere Monitoring Service), implementado pelo ECMWF.


Não se prevê que esta situação afecte Portugal, mas sim o SE de Espanha, com incidência nas comunidades espanholas de Alicante e Valência, encontrando-se o IPMA a acompanhar a situação.


Ver Imagem 1: Espessura ótica do aerossol (poeiras) a 550 nm prevista para terça-feira 30 às 12UTC (ECMWF-CAMS).


 


23 de junho de 2020: Poeiras do deserto do Sáara atravessam o Atlântico


As tempestades de areia no deserto do Sáara são relativamente frequentes e os ventos por vezes transportam as suas poeiras para bem longe. Por vezes, os ventos alísios, associados à circulação de leste do Anticiclone Subtropical do Atlântico Norte (vulgo Anticiclone dos Açores), favorecem o transporte dessas poeiras ao longo de grandes distâncias, atravessando o oceano Atlântico, até o continente americano.


Essas poeiras, ricas em minerais e nutrientes, eventualmente depositam-se no oceano e em terra (ex. Amazonas) constituindo por isso um importante mecanismo de fertilização natural.


Durante estes dias está prevista a chegada de poeiras do deserto do Sáara às Caraíbas. Trata-se de um evento particularmente intenso, estimando-se que a concentração de partículas no ar à superfície (PM10) em algumas ilhas das Caraíbas como Puerto Rico e Hispaniola (Rep. Dominicana e Haiti) ultrapasse os 200 μg/m3 nesta segunda-feira 22 de junho.


Prevê-se que estas poeiras atinjam a Península Ibérica na próxima 3ª feira, estando o IPMA a acompanhar a situação como é habitual.


Ver Imagem 2: Espessura ótica do aerossol (poeiras) a 550 nm prevista para segunda-feira 22 às 15UTC (ECMWF-CAMS)





Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-06-26 09:00:00
17
Municípios costeiros de Portugal colaboram na divulgação do programa GelAvista

O GelAvista, programa de ciência cidadã responsável pela monitorização de organismos gelatinosos na costa portuguesa, conta anualmente com a colaboração dos municípios costeiros para promover o programa junto da população portuguesa.


Com o intuito de dar continuidade a esta ação, o GelAvista partilhou com as câmaras municipais, responsáveis pela manutenção e vigilância das zonas balneares de todo o país, os posters de divulgação de 2020 de modo a disponibilizar a informação para consulta durante a época balnear. Assim, solicitamos a afixação próximo das zonas balneares, portos de recreio e/ou marinas de cada município de Portugal Continental e das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, informação sobre como participar no programa e o que fazer em caso de contacto direto com as espécies urticantes que ocorrem em cada região.


A recente aplicação GelAvista (disponível para sistemas Android e iOS), também mencionada nos posters, permite consultar informação mais detalhada sobre cada espécie que ocorre em Portugal e disponibiliza um mapa com as mais recentes ocorrências. Esta ferramenta tem como objetivo o envio e o registo de avistamentos, que ficam visíveis no mapa logo após validação, permitindo aos utilizadores consultar e contribuir para o conhecimento científico das medusas em Portugal.


O GelAvista, pretende envolver os cidadãos na ciência, educar e alertar para a ocorrência destes organismos, obtendo informação vital necessária para o estudo dos ecossistemas marinhos. Reconhecer as espécies urticantes que ocorrem na costa portuguesa, como a caravela-portuguesa (Physalia physalis) e a água-viva (Pelagia noctiluca) é muito importante para prevenir queimaduras graves durante a prática balnear. A saber, em caso de contacto direto com os tentáculos da caravela-portuguesa, deve ser aplicado vinagre e compressas quentes, enquanto para qualquer outra espécie urticante, deve ser aplicado gelo e se possível bicarbonato de sódio.





Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-06-25 09:01:00
18
Informação / Re: Manual de Patrão Local
« Última mensagem por Tiago_107 em Junho 24, 2020, 22:52:13 »
Obrigado pela partilha, parece-me excelente e vai ser muito util nas próximas semanas


E se tiveres alguma duvida diz temos alguma informação que pode ser util.... Mesmo agora estou a relembrar como se descobre o erro de indice de um sextante ;) !!!
19
Meteorologia / [IPMA] Radar meteorológico de Santa Bárbara
« Última mensagem por Informadora em Junho 22, 2020, 14:15:07 »
Radar meteorológico de Santa Bárbara

Radar meteorológico de Santa Bárbara, Ilha Terceira - Andamento do Projeto


A firma Vaisala concluiu o fabrico do radar meteorológico Doppler da Banda C, com tecnologia de polarização dupla, que será instalado no Grupo Central da Região Autónoma dos Açores (RAA), em Santa Bárbara (Ilha Terceira).


Os testes de aceitação em fábrica (FAT) decorreram entre 4 e 8 de junho, nas instalações da Vaisala, tendo sido concluídos com sucesso.


Na próxima semana será iniciado o transporte do equipamento, por via marítima, estimando-se que o mesmo seja rececionado na Praia da Vitória, em meados de julho.


Presentemente estão em curso trabalhos de adaptação das infraestruturas no local onde o radar será instalado, de forma a que sejam criadas todas as condições que garantam a melhor operacionalidade possível do sistema de radar meteorológico.


No âmbito deste projeto serão igualmente instalados:



       
  • uma estação meteorológica automática, na Fajã Grande, Flores, cujas observações irão contribuir para a melhoria geral da previsão do estado do tempo na RAA, particularmente no Grupo Ocidental;

  •    
  • um detetor de raios, no Observatório José Agostinho (Angra do Heroísmo);

  •    
  • estações de trabalho em diversos centros meteorológicos da RAA (Santa Cruz das Flores, Horta, Angra do Heroísmo, Ponta Delgada e Santa Maria), que permitirão a visualização remota da informação meteorológica obtida com este radar;

  •    
  • um sistema de processamento central no Observatório Afonso Chaves (Ponta Delgada).


Prevê-se que o sistema de radar meteorológico da Santa Bárbara seja instalado durante o mês de agosto e que a sua exploração, em regime experimental, se inicie em setembro.





Fonte: www.ipma.pt
Publicada na fonte em: 2020-06-22 09:00:00
20
Informação / Re: Manual de Patrão Local
« Última mensagem por NRod em Junho 22, 2020, 10:58:25 »
Obrigado pela partilha, parece-me excelente e vai ser muito util nas próximas semanas
Páginas: 1 [2] 3 4 ... 10